Porque Março tem algumas efemérides sobre as quais vale a pena pensar, e porque nos vamos debruçar sobre elas ao longo do mês, as Ideias que Mudam o nosso Mundo são dedicadas a questões que estão no nosso quotidiano mas sobre as quais nem sempre paramos para pensar.

Dia da Mulher

Se retirarmos o lado comercial e polémico deste dia – juro que não entendo a polémica de um dia que celebra a Mulher – ficamos só com o que nos interessa aqui na Liiv, que é assinalar o nosso dia, de todas as mulheres em todos os cantos do mundo. Trouxemos hoje este tema para que, à margem do que achamos sobre a pertinência desta celebração, possamos pensar sobre a mulher que somos ou sobre a que queremos ser.

Que lugar ocupamos na nossa própria vida? Também nos celebramos? Somos importantes para nós? Ou a família vem sempre em primeiro lugar? De que forma nos estimamos, cuidamos, corremos atrás do que queremos? Sonhamos, temos objetivos? Vivemos com alegria, conseguirmos criar essa alegria em nós sem que ela dependa sempre dos outros? E, por falar nos outros, conseguimos ligar-nos a eles sem nos perdermos de nós mesmas?

Dia do Pai

Depois de termos publicado este texto na semana passada, muitas de vós nos contactaram com histórias de pais que não estão presentes ou cuja presença invade e magoa. Por isso, neste Dia do Pai, gostávamos de sugerir que pensássemos não no pai dos nossos filhos mas no nosso próprio pai, mesmo que ele exista apenas dentro de nós e (já) não nas nossas vidas. Como nos sentimos com ele? Amadas, acolhidas, protegidas, incentivadas, seguras? O que é que ainda temos dele em nós? Somos parecidos? Que mágoas guardamos? O que gostaríamos de lhe dizer? O que gostaríamos que tivesse sido diferente?

Dia da Felicidade

Nestes dias estranhos em que parece que temos todos de ser felizes à força, talvez seja importante percebermos o que é que a felicidade significa para nós. O que nos torna felizes? O que acontece quando nos sentimos felizes? Quando foi a última vez que nos sentimos assim, o que aconteceu? O que podemos fazer para nos sentirmos desse modo? O que é que só depende de nós e que nos pode fazer felizes? O que nos impede de estarmos felizes?

Feliz Março e boas reflexões.

Todos os meses teremos algumas sugestões de como podemos tratar-nos melhor. Sem olhar para fora, sem rede, sem outros. Serão sugestões de temas, pensamentos, alimento que nos sugere que olhemos para dentro e cuidemos do que temos de mais valioso: nós mesmas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *