Há uns dias passei em frente a uma escola que tinha à porta uma frase que me ficou: “ser livre é ter o coração preso.” No original, de Chesterton, “ser livre” dá lugar a “liberdade” mas o sentido não muda. No mês que celebra a conquista do que nos permite estar aqui a partilhar ideias, de que falamos quando dizemos que queremos ser livres? 

Eu própria tenho dificuldade em ser clara, mas sei que, de todos os valores de que sou feita, a liberdade é o mais importante. A liberdade de falar, de pensar, de agir e, mais importante, a liberdade de ser. Mas, pegando na frase de Chesterton, conseguiremos ser o que somos se o nosso coração estiver preso? O que significa ser livre para cada uma de vós que nos lê?

Ser livre numa relação

Nos dias que correm, a liberdade parece sugerir o corte de laços, de ligações, do caminho que nos leva aos outros. Aliás, ser livre parece implicar uma certa deriva, não estar preso a nada, nem sequer aos nossos próprios intentos.

Mas, e se a maior liberdade estiver, justamente, na relação com os outros? No amor que lhes temos, no que têm por nós, no modo como conseguimos ser quem somos em vinculação com eles?

Nos namoros, por exemplo, a liberdade parece ser vivida apenas como a ausência de compromisso. Escolhemos viver com as várias possibilidades das relações ditas abertas em vez de pisar um caminho só. É bom ter escolha mas, partindo do princípio que não existimos verdadeiramente sem ser em relação com o outro, até que ponto a liberdade que procuramos não é mais que uma porta que fechamos sobre nós mesmos?

Todos queremos ser olhados e amados de forma única, individualizados e escolhidos do meio da multidão. É natural esse desejo, é da mais básica natureza humana. Queremos isso dos pais e depois dos homens e mulheres que nos vão amar pela vida. Tendo isso em conta, e se a liberdade estiver no compromisso?

Que a vossa liberdade de nos ler continue assim como está.

Todos os meses teremos algumas sugestões de como podemos tratar-nos melhor. Sem olhar para fora, sem rede, sem outros. Serão sugestões de temas, pensamentos, alimento que nos sugere que olhemos para dentro e cuidemos do que temos de mais valioso: nós mesmas.
Fotografia: Istockphoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *