Ando aqui à voltas sobre a melhor forma de começar este texto, dias depois de a minha cadela ter sido atacada por outra, pela quarta vez. Sim, pela mesma cadela quatro vezes, que de todas essas vezes estava sem trela e sem açaime. Como não acho que a diplomacia, neste caso, funcione, se têm um cão e costumam passeá-lo sem trela, o melhor é ignorar este texto. Mas se existe um pingo de consciência desse lado, leia-o.

Cara pessoa que passeia o seu cão sem trela,

olá, eu sou a dona de uma cadela que, no momento em que escrevo este texto, está fechada em casa, traumatizada e a recuperar de umas dentadas que levou de uma outra cadela, cuja dona insiste em levar à rua sem trela. Por isso, estou zangada e investida neste tema.

Eu entendo que o seu cão seja óptimo, excelente, muito bem treinado, que responde à chamada sem pestanejar. Entendo que o seu cão seja o mais dócil do mundo, que visite velhinhos em lares, que ajude crianças deficientes e nunca, mas nunca, fará nada espontaneamente que possa colocar outros cães e pessoas em risco. Eu entendo isso. Mas, em bom rigor, não quero saber.

E não quero saber porque quando eu passeio a minha cadela na trela e me cruzo com o seu cão, sem trela, a minha preocupação vai para ela e não para o seu maravilhoso e bem comportado cão.

Acredito na sua convicção plena de que o cão jamais sairá da linha que lhe impôs (se é que lhe impôs alguma) mas esse tipo de pensamento sobre um animal diz mais de si do que dele. É um animal. Vou repetir: é um animal, reage instintivamente, logo, essa certeza é pífia e fajuta.

Portanto, agora que estabelecemos que os cães não reagem sempre como nós achamos, talvez possamos concordar que as regras existem para nos proteger a todos, cães e donos. É ABSOLUTAMENTE OBRIGATÓRIO OS CÃES ANDAREM DE TRELA. Se assim fosse, eu não teria agora uma cadela triste e doente em casa, sem a possibilidade de estar a apanhar este sol de Primavera, tal como os cães sem trela poderão fazer.

O que vos quero dizer é simples: se um cão ataca, a culpa é vossa. Se um cão não se controla com outros cães, a culpa é vossa. Se um cão não foi bem sociabilizado, a culpa é vossa. E é vossa a culpa de tudo o que ele faz. E se isto não são culpas suficientes que vos façam trazê-lo à rua de trela, então há um grau de psicopatia do qual padecem e para o qual também existem leis. Penais e não cíveis.

Por isso, quando alguém vos chamar a atenção sobre o comportamento do vosso cão e vocês, muito incomodados por se sentirem postos em causa, reagirem, lembrem-se que é exactamente o mesmo com os cães. Quando incomodados, reagem. Com dentadas, ataques e feridas que podem ficar para sempre. E isto porque vocês não dignam a fazer o que é certo: passear o cão com trela.

Fica na vossa consciência, caso tenham uma.

Fotografia: Istockphoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *