Depois das receitas de tacho, as receitas no forno. Ambas, tacho e forno, expedientes máximos de quem não tem grande dedo para a cozinha mas, ainda assim, tem de se alimentar. Como sempre, são receitas fáceis de fazer, boas de comer e ideais para quem não tem grande tempo a perder. Rimou, eu sei, foi propositado, para dar um pouco de “poesia” a quem tem de que ir à compras e cozinhar de empreitada para a semana. Vamos a isto?

Segunda-feira

Para não começarmos a semana à bruta, vamos para uma coisa descomplicada e boa: massa de atum. Que é aquela receita que nos leva  lá atrás, aos 20 anos, quando os pais iam passar o fim de semana fora e nos deixavam sozinhos para tratar da nossa alimentação. Não sei como era convosco, eu ia sempre para a lata de atum e a massa cozida. Porém, a pessoa cresce, o palato muda e já não há grande vontade de voltar a experimentar o mesmo sabor. Por isso, aqui fica a mesma massa de atum, mas muitoooooo mais apetitosa, numa receita da Kerryann, uma amiga do Jamie Oliver.

Terça-feira

Esta é uma das receitas que mais se come lá por casa. Não só adoro costoletas de porco como é excelente para aqueles dias em que chegamos mais tarde e cansadas, apenas com vontade de vegetar à frente de um programa qualquer do TLC. Normalmente, deixo a carne temperada de um dia para o outro, para ganhar sabor, e depois é só colocar no tabuleiro. A receita diz para grelharem a carne antes de ir ao forno e, de facto, fica melhor. Quando tenho mais tempo, é o que faço. A carne directamente no forno fica mais seca. O ideal é mesmo grelhar ligeiramente, cozer um pouco as batatas e vegetais, e levar ao forno para terminar de cozinhar e deixar misturar os sabores dos ingredientes.

Quarta-feira

Até experimentar esta receita, não fazia ideia que a combinação do sabor do bacalhau com limão podia ser tão boa. Gosto muito de citrinos no salmão e, ao que parece, fica igualmente bom noutros peixes. Esta receita é bastante acessível e eu costumo acompanhar com batata doce e brócolos. Dica: não usem a farinha para fazer o molho. Fica super pastoso e não acrescenta nada. Só a manteiga e o limão chegam perfeitamente.

Quinta-feira

Menu de forno que é menu de forno tem de ter uma receita de lasanha. E esta é a minha favorita de todo o sempre. Não é super fácil mas o sabor, quando me sai bem, é muitooooo bom. A diferença está na carne: em vez de ser picada vem em forma de almôndegas, feitas à parte e depois colocadas em camadas, tal como na receita original. Esta receita pede ovo cozido para misturar mas eu não uso. A carne já é proteína suficiente. De resto, as almôndegas já as compro prontas no talho, para cozinhar em casa, e o molho de tomate, como sabem, é da Quinta do Arneiro. Num dia em que tiverem mais tempo, experimentem. E se forem como eu, vai saber-vos ainda melhor no dia seguinte.

Sexta-feira

E para terminar a semana em beleza, um dos meus pratos favoritos de sempre: empadão. Acreditem, eu podia viver só de puré de batata e pão com manteiga, mas, como não é possível, vou compensando com pratos bons e simples de fazer, como este. A receita leva farinha mas não vale a pena adicioná-la à carne, que se cozinha bastante bem sem ela. Escolhi esta receita porque permite a inclusão de vegetais, que é coisa que eu não adoro, mas quando “escondidos” assim, no meio de outras coisas boas, comem-se bastante bem. Enjoy!

E por aí? Têm experimentado as nossas receitas? Ou têm receitas “para a troca”?

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *