Já sabem que os nossos menus obedecem a premissas simples:

  1. o que apetece comer
  2. o que é fácil de fazer
  3. o que demora pouco tempo a cozinhar
  4. o que está em promoção

Esta semana decidi ir pelo peixe, para compensar a overdose de frango da semana passada. E, em se tratando desta fartura do mar, as receitas são todas portuguesas que, nisso, não há como nós.

Fui à procura de promoções de peixe sentei-me a pensar em receitas que uma naba como eu possa fazer. Não é fácil cozinhar peixe, mas, curiosamente, Bacalhau à Brás é dos pratos que me saem melhor. E é por aí que começamos.

Segunda-feira

Bacalhau à Brás – sou uma devota deste prato tradicional. O maior problema é conseguir cozinhar sem começar logo a enfardar. Sigo esta receita do Petiscos.com mas não com as mesmas quantidades, que reduzo para metade, sendo que somos só dois lá em casa. A minha cadela come ração seca. (eheh) Compro o bacalhau já demolhado e desfiado e, basicamente, junto tudo ao refogado. Só dispenso a salsa, que é um tipo de jardim que se coloca em cima e que não faz a mínima falta.

Terça-feira

Salada de Gambas – sou muito dada ao marisco, sobretudo aquele que é fácil de comer e ainda mais fácil de cozinhar. Faço esta salada várias vezes, porque, além de saborosa, é mesmo só tirar as cascas. Desta receita, só não uso o abacaxi e a salsa mas fica deliciosa na mesma.

Quarta-feira

Salmão com limão no papelote – o papelote e a massa folhada são os meus principais recursos culinários. Quando não sei o que fazer ou tenho demasiadas sobras, saco destas duas armas infalíveis. Excepto nesta receita, que é para lá de simples e boa, e que faço com regularidade. Abusem do limão à vontade, que corta a gordura do peixe. O endro é o ingrediente-chave.

Quinta-feira

Arroz de Marisco – parece fácil mas para mim, que raramente, mesmo muitoooo raramente acerto na cozedura do arroz, é uma lotaria. Ainda assim, esta é a receita mais fácil. Sempre que posso e tenho tempo, compro os ingredientes frescos, se for ao fim-de-semana e tiver tempo de ir à praça. Como não é o caso esta semana, opto pelos da Pescanova que, de todos, são os melhores. E depois é rezar para que o arroz não fique encruado, ou não pegue ao tacho porque o molho já secou, ou eu não me tenha esquecido do sal, enfim, é esperar que fique comestível.

Sexta-feira

Lulas à Provençal – adoro este prato, que, na minha cabeça, é uma mistura de sabores das Beiras com um toque de costa amalfitana. É fácil de fazer e aconselho o uso de um bom tomate, que é tudo nesta receita. Eu cozinho sem o açafrão, que é caro, não se encontra facilmente, e fica bom na mesma. Também dá para fazer com polvo, choco ou pota, congelados. Se forem frescos ficam um pouco duros. Mas isso sou eu que sou naba, atenção. Experimentem e depois venham cá dizer.

E receitas e dicas, há por aí? Partilhem!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *