Aproveitando o bom tempo que já se faz sentir e o nosso amor ao sol e às esplanadas, decidi que esta semana o Liiv Bistrô vai ser sobre marisco, esses bichinhos maravilhosos que por cá temos em quantidade e qualidade.

Como sempre, tento trazer receitas testadas por mim (LOL, agora parecia uma food blogger), que é como quem diz, receitas-que-fiz-em-casa-e-algumas-por-sorte-saíram-bem. Como gosto de variar no sabores, procuro versões novas para receitas que conheço e é isso que vos trago esta semana: formas diferentes de comer coisas que já conhecemos.

Segunda-feira

Começamos pelo mais fácil e por um esclarecimento: aquilo a que muitos chamam “gambas à guilho” não é mais do que em castelhano se diz “gambas al ajillo”, ou seja, gambas com alho. Pronto, agora podemos continuar. Esta receita é bastante fácil e o segredo está no chilli. Eu uso pequenos flocos de chili porque controlo melhor as porções – na primeira vez usei a versão líquida e parecia que tinha os dragões do Game of Thrones estacionados na minha boca. Aconselho também a que usem gambas frescas porque as congeladas não têm grande sabor. Se souberem de alguma marca que seja diferente, por favor, informem. Cortem o alho bem fininho, para não andarem as mastigá-lo, torrem pão e sirvam como entrada. Como prato, costumo fazer arroz basmati e como assim mesmo. Muito bom, sobretudo depois de espremer o limão por cima das gambas e do arroz. Experimentem.

Terça-feira

Esta receita é diferente das normais Amêijoas à Bulhão Pato, das quais gosto muito mas também gosto muito de variar. Por isso, descobri que o genial Jamie Oliveira as cozinha com funcho, que é um sabor muito fresco e pus-me a cozinhar segundo estas indicações. Fica óptimo. Uma recomendação importante: limpem muito bem a concha das amêijoas. Eu tenho uma escova de dentes de velha que uso para este efeito. Além disso, se elas estiverem abertas e não fecharem, deitem-nas fora. É porque não estão boas. Lembrem-se disto antes de as comprarem, de preferência frescas. O segredo aqui é a cozedura ser feita com cebola e funcho assado, sabores que, combinados, realçam o salgado das amêijoas. No final, tapem-nas com folha de alumínio e deixem descansar durante 15 minutos. As que não abrirem, não sirvam.

Quarta-feira

Provei esta receita pela primeira vez em casa de uns amigos belgas. Ou não fosse o ingrediente principal deste prato os mexilhões. Tal como com as amêijoas, as indicações de limpeza são as mesmas, tais como as verificações sobre o estado das mesmas. Já sabem: no início devem estar fechadas; depois de cozinhadas devem estar abertas. O que torna esta receita diferente é o molho. Um pouco de pasta de caril e de farinha, misturado depois de cozinhadas e deixado apurar, torna este prato comum numa alternativa invulgar e de sabor exótico. Muito, muito bom.

Quinta-feira

Claro que a sapateira não podia faltar. Adoro a receita original, sou aquela pessoa que pede uma casca de sapateira “para todos” e come-a sozinha, sem pejo, à colher. Não me orgulho deste feito mas é a verdade. Mas como gosto tanto do recheio da sapateira, e porque comer sempre o mesmo também enjoa (talvez se não o comesse à colher…enfim…adiante) encontrei esta receita que lhe dá um toque oriental, uma consistência menos aquosa e um sabor mais cítrico. Os ingredientes base são o mascarpone, spring onion (que é o alho francês bebé) e a lima, são estes que marcam a diferença no sabor. Podem, como eu, comer à colher ou ser menos sôfregas e dar a provar aos restantes comensais.

Sexta-feira

Deixei o prato mais complicado para sexta-feira, que é um dia teoricamente mais calmo e onde temos mais tempo para cozinhar. Só não se metam a fazer caldo de peixe em casa, a não ser que tenham tempo e façam mesmo questão. De outro modo, comprem um caldo de qualidade porque é coisa que vai fazer muita diferença. Isso e o açafrão, especiaria cara mas que também não usamos todos os dias ou em quantidade. Nesta receita, mais do que em todas as outras, os ingredientes devem ser frescos. Eu já testei esta receita duas vezes e em ambas a coisa ficou…digamos que…comestível. Com o vosso jeito ela ficará bem melhor. 🙂

Fotografia: Istockphoto

One Reply to “Liiv Bistrô: menu “é marisco, senhoras, é marisco””

  1. I see you don’t monetize liiv.pt, don’t waste your traffic, you can earn extra cash every month.

    There is one good method that brings decent money, you can google it:
    money making by bucksflooder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *