Jovem…

  1. Não gostas de cozinhar mas adoras comer
  2. O único prato que sabes fazer é esparguete com atum
  3. Os teus amigos passam a vida a dar-te dicas daquelas “super simples” mas que nunca consegues seguir
  4. As crianças de 5 anos fazem melhores ovos estrelados do que tu
  5. Ainda tens marcado no tecto da cozinha um determinado acidente com uma determinada experiência culinária que não correu bem
  6. Já jantaste várias vezes cereais e pão com manteiga
  7. Já arruinaste vários jantares de amigos em tua casa embora nenhum deles se tenha queixado da comida intragável
  8. A família já te disse que sem saberes cozinhar vai ser difícil manter ou arranjar um homem
  9. Na Uber Eats já te tratam pelo primeiro nome
  10. Até tu, às vezes, não consegues comer o que cozinhas

… então, pequeno Darth Vader da cozinha, junta-te a nós. Liberta-te do lado negro da força e procura o Lubomir que há em ti.

Eu detesto, mas detesto cozinhar. Teoricamente acho alguma graça, gosto de saber de onde vêm os alimentos, de comprar biológico, preocupo-me com a sua função e o efeito que têm no organismo, mas não gosto de os transformar nem de fazer o caminho até me chegarem ao prato. E como não gosto, tudo me sai mal. E como me sai mal, não gosto. É uma “pescadinha de rabo na boca” à qual, até hoje, não consegui mudar a forma.

O resultado prático deste meu desgostar vê-se em dois campos: no peso que aumenta e na carteira que fica mais leve.

Nos quilos que se acumulam por comer fora mais vezes do que o desejável e na carteira que se esvazia para poder pagar esse luxo. As constantes oscilações, de peso e de carteira, cansam-me. Não só me sinto infantil como me cansa muito a gestão de expectativas e frustrações.  Por isso, decidi duas coisas:

  1. começar a cozinhar
  2. organizar-me para “marmitar”

Com isto, não quero dizer que me vou tornar na nova Nigella ou, sequer, na versão feminina do Chef Silva (pessoas acima dos 40 vão perceber esta referência). Quero apenas não chegar ao fim do mês a contar tostões e sentir que estou a ser a pessoa adulta que espero de mim mesma.

Tendo em conta que esta minha decisão não acompanha o jeito que nunca terei para a cozinha, optarei por coisas simples e rápidas, uma espécie de “cozinha para crianças”, de receitas que partilharei aqui convosco.

Em querendo partilhar comigo segredos simples de organização e pratos fáceis de fazer, não se acanhem. Serão muito bem vindos. O que é que fazem quando chegam tarde a casa e têm muito pouca coisa no frigorífico? Quais os truques para reinventar o jantar de hoje no almoço de amanhã? Como aproveitar os restos? Como preparar refeições com antecedência? Como organizar a semana de refeições?

É um novo mundo que se abre para mim. Tachos, panelas e demais recipientes, aguardem-me que eu que estou a chegar. Missão “De Darth Vader a Cavaleiro Jedi”, começa em 3,2,1…

O Liiv Bistrô está oficialmente aberto.

🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *